A rotina diária de grande parte da população envolve longas horas desempenhando tarefas repetitivas e exaustivas. Em um cenário onde a produtividade é cada vez mais estimulada, o sedentarismo no trabalho só aumenta.

Isso porque, a preocupação com a saúde física e mental acabam ficando em segundo plano para que os resultados profissionais possam ser alcançados. 

Mas quais serão as consequências dessa inversão de prioridades?

No artigo de hoje nós vamos te contar. Acompanhe até o final!

O que é sedentarismo e como ele é classificado?

Por definição, o sedentarismo é caracterizado pela prática irregular, insuficiente ou inexistente de atividades físicas. 

De tal forma, mesmo uma pessoa que pratica exercícios pode apresentar algum dos 4 graus de sedentarismo se as atividades não forem administradas de maneira adequada.

Por exemplo, quem eventualmente faz curtas e discretas caminhadas, pertence ao chamado “Sedentarismo Nível 1”. Enquanto isso, pessoas que ficam sentadas ou deitadas e nunca se exercitam, se encaixam no “Sedentarismo Nível 4”.

Será que você é sedentário? Como saber?

Conforme pudemos perceber, os níveis de sedentarismo vão se agravando à medida que menos atividades físicas são executadas. Portanto, essa é uma excelente maneira de analisar o quão ativo você é ou deixa de ser.

Porém, existem sintomas que podem indicar que um indivíduo é sedentário, como por exemplo:

  • Cansaço intenso sem aparente razão;
  • Redução da força muscular;
  • Episódios de ronco e apnéia do sono;
  • Dores nas articulações;
  • Acúmulo de gordura corporal.

Quais são os impactos do sedentarismo no trabalho?

Dentre os inúmeros efeitos negativos provocados pelo sedentarismo, tanto na vida pessoal quanto profissional, podemos citar os 5 principais:

1. Desânimo

Alguns hormônios, como a endorfina e a dopamina, responsáveis por promover o bem-estar, são liberados durante a prática de exercícios físicos. Assim, pessoas sedentárias não contam com esse poderoso benefício.

Não raro, o sedentarismo no trabalho agrava os casos de depressão, desânimo e falta de motivação, o que diminui o rendimento e, obviamente, afeta a qualidade de vida.

2. Absenteísmo

Certamente, não é difícil prever que a falta de exercícios físicos aumenta o número de faltas na empresa. Afinal, com a saúde prejudicada, é natural que o colaborador não tenha condições de trabalhar.

Logo, os gastos com a folha de pagamento crescem, havendo a necessidade de contratações temporárias. Ou, pior do que isso, a equipe se sobrecarrega, gerando queda na qualidade dos serviços.

3. Redução da produtividade

Bem como já mencionamos, o sedentarismo prejudica o rendimento do trabalhador. 

Assim, a produtividade acaba sendo reduzida e mesmo que não precise faltar, o desempenho cai e ele não consegue ser capaz de ter o foco e a agilidade que teria se estivesse bem.

4. Problemas musculares e articulares

Sem se exercitar, muitos colaboradores desenvolvem dores musculares, inflamações nas articulações e problemas na coluna. 

As tarefas repetitivas e as longas horas na mesma posição — normalmente incorreta — causam diversas doenças ocupacionais. Por isso, é tão importante, por exemplo, que a empresa trate de promover exercícios laborais.

5. Ganho de peso e obesidade

Praticar exercícios físicos pode ser decisivo na prevenção de quadros de obesidade. Além disso, outras doenças graves podem ser evitadas a partir da redução do peso e dos índices de gordura no organismo, tais como:

  • Infarto do miocárdio;
  • AVC (Acidente Vascular Cerebral);
  • Hipertensão arterial;
  • Diabetes Tipo 2.

De que forma o sedentarismo pode ser minimizado?

Felizmente, existem diferentes alternativas que ajudam a ter um dia a dia mais ativo. Algumas soluções envolvem treinos específicos, musculação, pilates, natação, alguns tipos de esportes e ginástica laboral.

Entretanto, pequenas mudanças de hábitos podem ajudar a reverter o sedentarismo no trabalho.

Confira alguns exemplos a seguir:

Procure se alongar

Não abra mão das pausas ao longo do dia para se alongar, pois isso pode ajudar a diminuir a tensão do corpo e da mente. Movimente os dedos, os pulsos, estique os braços, as pernas e relaxe o pescoço.

Dê preferência às escadas

Deixe a preguiça de lado e troque o elevador pelas escadas sempre que possível. 

Afinal de contas, subir e descer alguns degraus — desde que os joelhos estejam saudáveis, é claro — pode aumentar a resistência muscular e cardiovascular, além de promover a perda de peso

Deixe o carro na garagem

Uma dica válida, é que as empresas tenham banheiros com duchas. Assim, quem mora perto do trabalho pode ir e voltar de bicicleta sem precisar passar o expediente inteiro suado. 

Outra ideia, é que algumas campanhas e flexibilizações sejam feitas no ambiente de trabalho para fomentar o uso do transporte público. Dessa maneira, pelo menos uma parte do trajeto pode ser feita a pé.

Em suma, existem várias estratégias que podem ser adotadas a fim de minimizar o sedentarismo no trabalho. 

Portanto, é fundamental, tanto aos funcionários quanto às empresas, que medidas sejam tomadas. Com isso, os resultados do negócio podem ser favorecidos e a integridade física e mental da equipe preservada!

Leia também outros artigos importantes sobre saúde e trabalho:

  1. Qual a importância da atividade física para a saúde?
  2. Riscos físicos: quais são e como prevenir?
  3. Quais os benefícios da ginástica laboral para sua equipe?
Fale Conosco pelo WhatsApp
1