Em tempos de promoção da produtividade alicerçada na competitividade, será que ainda há espaço para o bem-estar no trabalho? Ambientes tóxicos, cheios de pressão e cobranças deveriam “recalcular a rota”?

Cuidar dos índices de satisfação dos colaboradores é de suma importância para uma empresa que deseja prosperar. Fatores como estresse, más condições de trabalho e metas inconcebíveis podem levar à perda de profissionais incríveis!

Por isso, no artigo de hoje vamos te dar dicas de como promover o bem-estar da sua equipe e, a partir daí, obter melhores resultados.

Como o bem-estar no trabalho pode ser definido?

Resumidamente, o conceito de bem-estar no trabalho é definido como o conjunto de ações e estratégias responsáveis por garantir aos trabalhadores de uma instituição um ambiente equilibrado e saudável física, mental e emocionalmente.

Em outras palavras, a empresa deve construir um espaço seguro, agradável e harmonioso. Assim, o trabalhador pode desempenhar suas atividades de maneira satisfatória.

Para tanto, é sugerido que a gestão promova programas de incentivo, investimentos em infraestrutura, políticas de flexibilidade e outras medidas capazes de criar um clima organizacional prazeroso.

Top 3 características que tornam um ambiente tóxico

Inúmeros fatores podem afetar os níveis de contentamento de um colaborador dentro uma corporação. Porém, alguns deles são tidos como unânimes e encabeçam o ranking dos mais recorrentes.

1º. Estresse

O estresse já é conhecido mundialmente como causador de diferentes problemas de saúde. Quando ocorre no ambiente profissional tende a prejudicar a convivência, a concentração e o desempenho de modo geral.

Empresas que adotam jornadas de trabalho exaustivas, cobram resultados de forma exagerada e estimulam a competitividade costumam ser aquelas com funcionários mais estressados e psicologicamente desequilibrados.

2º. Ruído

A exposição prolongada a ruídos excessivos compromete a saúde auditiva e (acredite se quiser!) cardíaca dos trabalhadores. Além disso, o barulho tira o foco e afeta a produtividade do time. 

Portanto, é essencial que o setor de Segurança e Saúde do Trabalho adote medidas preventivas a fim de reduzir os danos causados por ruídos no ambiente de trabalho.

3º. Ergonomia

Mesas e cadeiras desconfortáveis são os vilões da ergonomia! Na tentativa de economizar, muitas empresas cometem o erro de adquirir produtos precários que prejudicam a postura do funcionário, bem como a execução de tarefas repetitivas.

A partir daí, diversas doenças ocupacionais podem surgir, contribuindo para a insatisfação do contratado com o local de trabalho. 

Para evitar o problema, deve ser realizada uma Análise Ergonômica do Trabalho (AET) capaz de identificar situações nocivas.

Por que investir no bem-estar do colaborador?

Um estudo realizado pelo LinkedIn em 2020 mostrou que no Brasil os trabalhadores estão 63% mais estressados e cada vez menos confiantes nos postos que ocupam. 

Diante da informação, fica fácil concluir que os profissionais não estão rendendo tudo o que poderiam. E, muito mais do que isso, estão adoecendo, se sentindo tensos e inseguros.

Logo, investir em estratégias capazes de elevar o bem-estar laboral permite que o colaborador exerça seu papel com dedicação e entusiasmo. 

Tanto no trabalho presencial quanto no home office a organização deve estar presente, demonstrando confiança. Além de oferecer, através do departamento de Recursos Humanos, suporte, apoio e respaldo.

5 Dicas para promover o bem-estar no trabalho

Assim como algumas medidas desequilibram o ambiente de trabalho, outras são capazes de equilibrá-lo. As atitudes tomadas pela empresa podem exercer impacto positivo no bem-estar da equipe.

Confira, a seguir, 5 dicas que contribuem para criar um ambiente de trabalho mais agradável, com colaboradores mais seguros, saudáveis e satisfeitos!

1. Ofereça as condições adequadas de trabalho 

Como já citamos anteriormente, é fundamental que os profissionais contem com instrumentos adequados de atuação. E isso inclui não só mesa e cadeira, mas todo instrumento que for útil à tarefa desempenhada.

Ademais, é imprescindível que a segurança seja garantida através de equipamentos de segurança (EPC’s e EPI’s), adoção de programas e cumprimento de normas, como:

  • PPRA;
  • PPP;
  • APT;
  • CIPA;
  • NR-5, 17 e 23;
  • Laudos de Insalubridade;
  • Laudos de Ruído Externo;
  • Análise Preliminar de Risco;
  • PPR;
  • PCMAT;
  • Laudos de Periculosidade;
  • Emergência Ambiental;
  • Gerenciamento de Riscos.

2. Estimule a interação da equipe

Diminuir o estresse, os atritos e promover o relaxamento dos subordinados é absolutamente possível através da interação. Como se não bastasse, a ação ainda favorece a formação de um espaço colaborativo e amistoso.

Implementar o DDS — Diálogo Diário de Segurança —, por exemplo, é uma excelente estratégia para estimular a comunicação. Através de uma conversa curta e importante, todos podem participar e estreitar as relações.

Outra excelente ideia é instalar áreas de convivência e de descanso para os trabalhadores. 

3. Priorize as melhorias no ambiente

Outro aspecto que deve ser priorizado diz respeito às melhorias do ambiente laboral. Até porque, ninguém quer passar mais de 8 horas do seu dia em um local mal ventilado, escuro e com equipamentos quebrados, não é mesmo?

De tal forma, é importantíssimo que um levantamento seja realizado, apontando as prioridades, além, é claro, dos riscos envolvidos na área.

Alguns estudos altamente recomendados são:

  • Avaliação de Vibração;
  • Avaliação de Calor;
  • Avaliação de Ruídos;
  • Avaliação de Agentes Químicos;
  • Análise Ergonômica do Trabalho. 

4. Adote a prática de atividades físicas

Outro jeito altamente eficaz de promover o bem-estar no trabalho é estimular a prática de atividades físicas. Toda equipe pode se beneficiar, entretanto, para quem trabalha muito tempo sentado os resultados podem ser ainda mais evidentes.

A ginástica laboral é uma técnica muito utilizada por trazer vantagens à saúde física e ainda proporcionar um momento de descontração entre empregados e empregadores.

Todavia, existem diversas outras opções que podem ser adotadas, tais como aulas de ioga e ginástica aeróbica, por exemplo.

5. Cuide da saúde mental

Por último, mas não menos importante, é necessário que a empresa preze pela saúde mental de seus colaboradores. Isso porque, inúmeras questões podem gerar ou agravar doenças como depressão e hipertensão.

De tal maneira, cuidar da abordagem, do tom de voz e das palavras, por exemplo, ao transmitir uma informação, dar um feedback ou fazer uma cobrança, é elementar! 

Contar com um psicólogo que faça parte da equipe de PCMSO para prevenir e tratar distúrbios mentais também é absolutamente benéfico. Outros cuidados que a empresa deve ter envolvem:

  • Exames periódicos;
  • PPPA;
  • Gestão Ambulatorial;
  • Atendimento in Company;
  • Relatórios / Gestão Ocupacional.

Para concluir, é evidente que há uma infinidade de alternativas capazes de melhorar o clima organizacional. Basta que haja, porém, boa vontade e conhecimento na adoção de estratégias!

Cuide da saúde e do bem-estar dos seus colaboradores.

Veja esses tópicos importantes:

  1. Nova NR-17: o que mudou em 2022 e merece maior atenção?
  2. O que é PCMAT e qual sua importância para as empresas?
  3. Descubra quais são as vantagens do atendimento in company
Fale Conosco pelo WhatsApp
1