Você é empregador e nunca ouviu falar sobre o que é turnover? Então esse cenário precisa ser revertido! Isso porque, entender como calcular e interpretar esse índice é capaz de melhorar, significativamente, os resultados do seu negócio.

Através da análise desse importante coeficiente, a taxa de rotatividade de colaboradores pode ser reduzida. Mas esse é apenas um dos muitos benefícios que o turnover pode oferecer.

Fique por aqui até o final e descubra como essa métrica pode te ajudar a parar de perder dinheiro com demissões!

O que é turnover?

Para que seja possível compreender o que é turnover, primeiramente, precisamos falar a mesma língua, certo? 

Dessa maneira, traduzida do inglês, essa palavra pode significar “volume de vendas”, “faturamento” e, o que nos interessa aqui, “rotatividade”. Por isso, o turnover nada mais é do que a taxa de rotatividade de funcionários.

Em outras palavras, o índice mede a relação entre os trabalhadores que entraram e os que deixaram a empresa dentro de um intervalo de tempo. 

Através do resultado verifica-se, por exemplo, se o clima organizacional, a remuneração e a gestão da empresa vão bem.

Quais são os tipos de turnover?

Conheça a seguir os 4 principais tipos de turnover:

1. Turnover Funcional

É chamado de turnover funcional a taxa de rotatividade referente aos desligamentos de funcionários que apresentam baixo rendimento e estão insatisfeitos. 

Ou seja, o próprio profissional pede demissão, não gerando nenhum custo de rescisão para a empresa.

Nesse caso, quando o descontentamento leva o colaborador a pedir demissão, alguns comentários negativos feitos por ele podem afetar a reputação da empresa diante do mercado. Por isso, é preciso estar sempre atento à questão!

2. Turnover Disfuncional

Por outro lado, o turnover disfuncional é quando ocorre o desligamento de funcionários com alto desempenho. Aqui, também existe uma preocupação para a empresa, pois um profissional importante é perdido.

Mais do que isso, o pedido de demissão desse colaborador pode indicar problemas com a cultura organizacional e outras condições do ambiente de trabalho.

3. Turnover voluntário

Parecido com o turnover funcional, o turnover voluntário é caracterizado pelo pedido de demissão feito pelo profissional. Entretanto, a diferença é que ele não precisa, necessariamente, estar insatisfeito.

Não à toa, costuma acontecer quando o trabalhador recebe uma proposta melhor e decide trocar de emprego.

4. Turnover involuntário

Diferente das demais modalidades, o turnover involuntário ocorre quando é a organização quem decide demitir o funcionário. Independentemente de qual seja o motivo do desligamento, o colaborador não é quem faz o pedido de demissão.

Ele é comunicado pela área de recursos humanos ou pelos seus superiores sobre a decisão.

Como é feito o cálculo de turnover?

Agora que você descobriu o que é turnover, é o momento de aprender a calcular esse fator. Afinal, a teoria precisa estar acompanhada da prática.

Portanto, vamos lá!

O cálculo matemático é muito simples e você só precisa ter o registro de todas as contratações e demissões feitas pela sua empresa. 

A partir daí, esses valores serão somados, divididos por dois e, em seguida, dividido pelo número de funcionários.

Confira como fica:

o que é turnover - cálculo 1

Hipoteticamente, imagine que sua empresa possui 30 funcionários ativos, 10 foram admitidos e 2 demitidos ao longo de um ano. Através desses dados, a taxa de turnover pode ser obtida facilmente:

o que é turnover - cálculo 2

A fórmula apresenta o número 100 sendo multiplicado por todos os elementos dentro dos colchetes para que o resultado final seja dado em porcentagem. 

Observe:

o que é turnover - cálculo 3

 

De tal modo, o índice de turnover da corporação é igual a 20%.

Por que os colaboradores deixam as empresas?

Certamente, através do exemplo foi muito mais fácil assimilar o que é turnover, não é mesmo? 

E, se você já conseguiu aplicar o cálculo à realidade do seu negócio e obteve o resultado, é hora de partir para a próxima etapa: entender o que costuma causar tantas demissões!

Conheças quais costumam ser os maiores motivos:

Gestores desqualificados

Líderes despreparados e sem nenhum conhecimento sobre gestão de pessoas, infelizmente, são responsáveis pela frustração de muitas equipes. Como resultado, profissionais extremamente competentes acabam não suportando o ambiente.

Até porque, a falta de habilidade tende a vir junto com cobranças excessivas e falta de direcionamento das atividades.

Ausência de plano de carreira

Não deveria ser novidade que funcionários sem perspectiva de crescimento também se veem, muitas vezes, tentados a mudar de emprego. Dessa maneira, a rotatividade na empresa aumenta.

Logo, contar com um bom plano de carreira, capaz de oferecer uma projeção dos próximos anos do trabalhador é fundamental. A medida faz toda diferença na retenção de talentos.

Ambiente de trabalho ruim

Por último, mas não menos importante (muito pelo contrário!) está o ambiente de trabalho. Colegas e gestores tóxicos, preconceituosos, negativos, egoístas e “bajuladores” são considerados um grande motivo de demissão.

Realmente, ninguém merece passar a maior parte do dia cercado por esses comportamentos, né?

O que fazer para diminuir a rotatividade?

Reverter todos os problemas citados acima, com certeza, contribui grandemente para conter os índices de rotatividade de funcionários. 

Por esse motivo, é imprescindível que você não só entenda o que é turnover, mas também que invista em cursos de capacitação para se tornar um bom gestor, elabore um bom plano de carreira e cuide do clima da empresa.

Além disso, é de suma importância que alguns cuidados sejam tomados já durante o recrutamento, a fim de escolher os candidatos que realmente tenham aderência ao cargo. 

Outra ótima dica é apostar na terceirização. Isso porque, as empresas prestadoras de serviços se encarregam de fazer a substituição dos profissionais caso haja algum problema como insatisfação ou baixo desempenho.

Então, chega de perder dinheiro contratando e demitindo funcionários sem parar. O prejuízo dessas operações é imenso, tanto com multas quanto com treinamentos e adaptação de novos colaboradores. 

Fora todo o desgaste e a perda de tempo!

Portanto, busque equipes terceirizadas capazes de desempenhar um trabalho de excelência e pare de se preocupar com demissões.

Se você quer mais dicas que vão te ajudar na gestão da sua empresa, então leia também:

  1. O que é medicina do trabalho e qual sua importância?
  2. Entenda as alterações no MOS, Manual de Orientação do eSocial
  3. Eventos SST: quais são os eventos e prazos no eSocial?
Fale Conosco pelo WhatsApp
1