A sua empresa tem um plano de segurança do trabalho? Trata-se de um documento no qual são planificadas todas as ações para que a saúde e a segurança dos trabalhadores sejam promovidas na organização.

Esse projeto precisa ser elaborado em conjunto pelo médico e pelo engenheiro de segurança do trabalho, também tendo a participação de profissionais da empresa, como os membros da Comissão Interna de Prevenção de Acidente (CIPA). Assim, será criado um plano amplo, que englobe a visão de todos que fazem parte da companhia.

Mas afinal, como criar um plano de segurança do trabalho? Elaboramos um passo a passo. Veja, a seguir!

1. Mapeie os riscos

É importante que seja feito um mapeamento dos riscos da empresa, para que todos eles sejam contemplados no plano.

Uma indústria que trabalha com máquinas que emitem muitos ruídos, por exemplo, deve propor ações, como o isolamento acústico, para evitar que os colaboradores sejam expostos a uma das causas dos problemas de audição.

Assim sendo, todos os riscos precisam ser analisados e, assim, propostas soluções para que eles sejam amenizados.

2. Levante os EPIs necessários

Ao fazer o mapeamento dos processos, também é importante que seja realizado um levantamento dos equipamentos de proteção individual (EPIs) que devem ser utilizados em cada situação.

Ainda citando o exemplo da máquina que emite barulho, é imprescindível que o seu operador utilize um protetor auricular, para que o ruído não cause danos à sua saúde.

3. Promova treinamentos regulares

Os treinamentos são importantes para que as pessoas saibam como agir em cada situação. Devem ser realizados cursos, palestras e workshops de forma periódica, para qualificar os colaboradores sobre a segurança de trabalho.

A ideia é que sejam debatidos temas como a prevenção a acidentes e doenças, a importância do uso de EPIs, qualidade de vida na empresa etc.

4. Padronize os processos

A padronização de processos também faz parte do plano de segurança do trabalho. É necessário que sejam criados esquemas que mostrem quem é o responsável pela tarefa, bem como os passos para que ela seja cumprida.

De tal forma, caso algo venha a falhar, será possível fazer a pronta identificação e tomar as medidas cabíveis para que isso deixe de acontecer.

5. Documente os acidentes ocorridos

Outro ponto que deve ser observado é a documentação dos acidentes que ocorrerem na empresa. A ideia é que sejam realizados estudos para que as falhas cometidas não voltem a acontecer.

Se foi identificado que um acidente ocorreu por conta de um problema mecânico, por exemplo, deve-se verificar outros equipamentos e fortalecer as medidas protetivas.

6. Defina as equipes de trabalho

As equipes de trabalho precisam ser bem definidas e os colaboradores devidamente treinados, para que não realizem tarefas para as quais não estão aptos. Assim, se evitam acidentes causados pela falta de experiência com determinada função.

Esses são os principais passos que devem ser dados para desenvolver um plano de segurança do trabalho. Lembre-se que esse documento é muito relevante e traz benefícios, como a diminuição da ocorrência de acidades e o aumento da satisfação dos colaboradores.

Ficou com alguma dúvida ou quer compartilhar algo conosco? Sinta-se à vontade para deixar um comentário!