Entenda quais são os tipos de riscos químicos, seus efeitos e como lidar com agentes químicos corretamente.

 

Os riscos químicos compreendem qualquer tipo de risco a agentes químicos, sejam líquidos, gasosos ou sólidos.

São substâncias que causam algum tipo de alteração, lesão ou ferimento no organismo, interna ou externamente.

Existem muitas profissões que lidam diariamente com riscos químicos e, portanto, é necessário saber quais são e como lidar com eles.

No post de hoje, vamos explicar mais sobre os agentes químicos.

 

Quais são os tipos de agentes químicos?

Existem três tipos de agentes químicos e vamos explicar separadamente cada um deles a seguir.

 

Gasosos

Os agentes gasosos são qualquer tipo de substância que se encontra nesse estado.

Isso inclui, por exemplo, nitrogênio, dióxido de carbono, propano, entre outros.

O principal risco químico envolvido é o de inalação, embora certos agentes químicos gasosos também possam ser absorvidos em contato com a pele ou mucosas.

 

Líquidos

Os agentes líquidos são todas as substâncias comumente manipuladas em forma líquida.

Exemplos são a gasolina, o benzeno e ácidos diversos. O contato com a pele pode causar desde irritações até graves queimaduras, e há também o risco de ingestão.

 

Sólidos

Os sólidos compreendem desde poeiras até objetos maiores em forma sólida.

Chumbo, urânio e até materiais mais comuns, como plástico e borracha, podem ser destrutivamente tóxicos quando ingeridos.

A ingestão não é a única forma de intoxicação. Sólidos em formato de pó podem ser inalados facilmente sem a devida proteção.

 

Quais são os efeitos causados pelos riscos químicos?

Agentes asfixiantes

Existem agentes químicos capazes de impedir a respiração, barrando a entrada de oxigênio e sufocando a pessoa.

Os efeitos variam desde dores de cabeça e sonolência até desmaio e morte.

São divididos em duas categorias: simples e químicos. Os agentes asfixiantes simples agem somente na atmosfera, alterando a concentração de oxigênio no ar.

Já os agentes asfixiantes químicos agem no organismo, impedindo que o corpo desempenhe suas funções respiratórias corretamente, como o monóxido de carbono.

Para se prevenir, é necessário usar uma máscara adequada ao tipo de agente asfixiante com o qual se está lidando.

Pode ou não ser necessária uma máscara com vedação total e tanque de oxigênio.

 

Agentes anestésicos

São agentes que comumente atacam o sistema nervoso central, causando ações depressivas e narcóticas.

Os sintomas podem incluir tontura, alterações visuais e auditivas, perda de consciência, além de outras situações em diferentes partes do organismo, principalmente rins e fígado.

Os agentes que representam risco químico anestésico mais comum são os gases, como butano e propano.

Apesar disso, a contaminação também pode ocorrer devido à ingestão ou contato de mucosas com líquidos, tais como cetonas e benzenos.

As medidas preventivas incluem o uso de máscaras adequadas, luvas, roupa especial, óculos de proteção e botas, dependendo do tipo de químico.

 

Agentes tóxicos

São os que podem causar alterações estruturais ou funcionais no organismo.

Estão geralmente relacionados à ingestão ou inalação, e o risco aumenta conforme aumenta o tempo de contato.

Entre os mais comuns, estão partículas de chumbo e benzeno. É necessário utilizar corretamente os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para lidar com esse tipo de material.

 

Agentes cancerígenos

Os mais comuns associados a este tipo de contágio são os agentes utilizados em máquinas de raio x e em usinas nucleares.

São agentes que podem causar uma anormalidade no crescimento das células do organismo, levando ao desenvolvimento de tumores.

Eles podem ser inalados ou absorvidos no contato com a pele.

É necessário manter certa distância de alguns desses agentes, diminuir o tempo de exposição diária e usar EPIs.

 

Outros tipos de riscos químicos

Existem ainda outros tipos de riscos químicos menos comuns:

  • Agentes irritantes: causam irritações na pele ou vias aéreas, como o cloro;
  • Agentes alergênicos: causam reações alérgicas em quem já tem alergia a essas substâncias;
  • Agentes mutagênicos: provocam problemas hereditários, caso haja contato com esses agentes durante a gravidez;
  • Agentes corrosivos: destroem células e tecidos biológicos, como o ácido fluorídrico;
  • Agentes inflamáveis: agentes que entram em combustão, causando queimaduras e até explosões, como a gasolina e o metano.

É importante que as empresas e os trabalhadores saibam quais são os riscos aos quais estão expostos em ambiente de trabalho.

Somente assim é possível se prevenir corretamente. Leia nosso post sobre a importância do mapa de risco e como deve ser elaborado.

Open chat
Olá! Como podemos lhe ajudar?