Entenda no post de hoje o que são riscos biológicos, quais são e o que fazer para prevenir dentro da empresa.

 

Todo ambiente de trabalho possui riscos, por menores que sejam. Existem vários tipos, entre eles, o risco biológico.

Um agente biológico pode colocar em risco a saúde dos colaboradores, das pessoas ao redor e também a segurança do ambiente de trabalho em si.

É essencial saber lidar com esse tipo de agente para prevenir doenças ocupacionais ou situações que possam prejudicar a saúde dos colaboradores.

 

O que são riscos biológicos?

Esse tipo de risco é composto por todo agente biológico patogênico que representa uma ameaça ao organismo ou ao ambiente no qual está inserido.

Por isso, é fundamental que seja feita uma análise de agentes biológicos, para reconhecer, identificar e avaliar o potencial impacto ou dano à saúde do colaborador.

Também é necessário determinar qual a classe de risco biológico, a fim de introduzir no ambiente de trabalho medidas administrativas de biossegurança, além de medidas ergonômicas, organizacionais e de qualificação.

Os riscos biológicos são classificados conforme mostra a tabela abaixo:

Matriz de Classificação dos Riscos

Fonte: Classificação de Risco dos Agentes Biológicos – Ministério da Saúde.

Os riscos de classe 4 são, portanto, os mais perigosos, e os que devem receber a maior atenção.

 

O que são agentes biológicos patogênicos?

Agente biológico patogênico é aquele que pode causar doenças ou alergias. O SARS-CoV-2, responsável pela Covid-19, é um bom exemplo recente.

Conhecer o modo de transmissão e o percurso do agente biológico desde sua fonte até o hospedeiro (humano ou animal) permite a aplicação de medidas preventivas ou de contenção que reduzem a contaminação e a disseminação do patógeno.

Medidas como vacinação, uso de agentes antimicrobianos e adoção de medidas sanitárias podem reduzir o risco de contágio no ambiente de trabalho.

 

Riscos biológicos e insalubridade

A classificação dos adicionais de insalubridade é feita de forma qualitativa. Ou seja, depende do potencial risco de contágio e disseminação do patógeno.

Assim, nem todas as profissões que requerem proximidade com agentes biológicos dão o direito ao adicional.

Dessa forma, vamos mostrar algumas profissões que possuem alto risco de contaminação.

 

As profissões que apresentam riscos biológicos mais elevados são as que incluem:

  • Contato com pacientes isolados por doenças contagiosas ou objetos usados por esses pacientes e não esterilizados, como carne, ossos, sangue, além de animais portadores de doenças contagiosas;
  • Manipulação direta de agentes biológicos em laboratórios;
  • Limpeza hospitalar;
  • Trabalho em esgotos, galerias e tanques;
  • Coleta e industrialização de lixo urbano;
  • Exumação de corpos;
  • Contato com animais em qualquer parte do processo industrial alimentício;
  • Contato com resíduos de animais deteriorados.

Há ainda outros casos específicos. A melhor forma de saber se uma profissão ou empresa apresenta riscos biológicos elevados é solicitando um laudo de insalubridade.

A empresa pode, ainda, implementar o PPRA, Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, previsto na NR-9.

Dessa forma, é possível encontrar e classificar todos os riscos ambientais presentes na empresa, incluindo os biológicos patogênicos.

 

Quais são os danos causados pelos riscos biológicos?

A seguir, listamos os principais danos causados por agentes biológicos patogênicos, especialmente aos trabalhadores:

  • Bactérias: podem causar desde uma infecção alimentar até doenças graves, como pneumonia, tuberculose e meningite;
  • Vírus: são causadores de diversas doenças, desde um simples resfriado até os casos pandêmicos mais graves, como a COVID-19;
  • Fungos: podem causar micose, candidíase e outras condições que afetam, principalmente, peles e mucosas;
  • Protozoários: podem causar desde problemas intestinais até doença de chagas.

Devido aos riscos, é necessário trabalhar com medidas preventivas.

 

Formas de prevenção aos riscos biológicos

Em primeiro lugar, é dever da empresa implementar programas como o já mencionado PPRA e o laudo de insalubridade.

Esses programas já vão demonstrar o que pode ser feito para evitar, mitigar ou controlar os riscos.

Mas, além disso, pode-se usar dos seguintes métodos em vias gerais:

  • Higienização e desinfecção frequente das mãos, roupas e ambientes;
  • Uso de EPIs como luvas, toucas, máscaras e jalecos;
  • Estabelecer rígidos padrões sobre o manuseio de objetos perfurocortantes;
  • Descartar resíduos corretamente;
  • Limitar o número máximo de funcionários expostos ao risco;
  • Instalar sistemas de esterilização de ar.

Conheça mais sobre o PPRA e proteja sua empresa e seus colaboradores.

Fale Conosco pelo WhatsApp
1