Entenda o que é saúde ocupacional e saúde assistencial, e a diferença entre as duas nomenclaturas.

Um dos maiores desafios de qualquer empresa é cuidar da saúde de seus colaboradores. Existem duas vertentes para que isso seja feito, sendo a saúde ocupacional e a saúde assistencial. Entretanto, o cenário ideal é a integração entre elas.

Para que você tenha capacidade de tomar decisões mais rapidamente e com maior segurança, vamos apresentar aqui ambos os conceitos e explicar por que é tão importante integrar um com o outro.

O que é saúde assistencial?

Podemos entender por saúde assistencial toda ação interna que tem como objetivo ajudar os colaboradores a terem mais saúde de forma geral. Essa assistência ocorre de diversas formas, mas todas são voltadas a incentivar o estilo de vida mais saudável, fortalecendo corpo e mente do trabalhador.

Ela também pode ser entendida como uma forma de medicina preventiva, implementando cuidados necessários para a prevenção de doenças, desenvolvimento do organismo e manutenção geral da saúde.

Com isso, a empresa investe em ações para reduzir riscos ocupacionais, diminuir faltas e afastamentos, aumentar engajamento e disposição, reduzir custos e potencializar a produtividade. Também estão incluídas ações para promover a saúde, segurança e bem-estar dos colaboradores.

Veja algumas das ações que podem ser implementadas logo abaixo.

 

Informações sobre prevenção de doenças

Uma das ações de saúde assistencial que a empresa pode tomar é informar sobre a prevenção de doenças, mesmo que elas não sejam causadas pelo trabalho. Bons exemplos são as campanhas contra o câncer de mama e de próstata (Outubro Rosa e Novembro Azul). 

Estas doenças podem prejudicar fortemente a saúde do colaborador, podendo, inclusive, levar ao óbito. Outras formas de informar sobre a prevenção de condições de saúde também se encaixam.

 

Ambiente de trabalho agradável

O ambiente de trabalho influencia diretamente na produtividade e disposição dos colaboradores, bem como em sua saúde. Atividades como ginástica laboral, exercícios em grupo, aquecimentos, entre outros, todos contribuem para a melhora do clima organizacional.

Há uma melhora tanto na satisfação dos colaboradores, quanto em sua saúde física, mental e emocional. O relacionamento entre os colaboradores também é beneficiado, criando um ambiente mais agradável ao trabalho.

Isso acaba deixando a empresa mais alegre, com energia elevada e contribui para diminuir a carga de estresse acumulada, evitando doenças psicológicas como ansiedade e depressão.

 

Estilo de vida saudável

Estimular uma vida saudável também é considerado uma forma de saúde assistencial. Para início de tudo, o exercício físico faz muita diferença na vida das pessoas. Incentivar a prática de exercícios é distribuir mais saúde aos colaboradores.

Além disso, a forma como eles se alimentam influencia diretamente em seu desempenho, produtividade, foco e disposição. Alimentos pesados deixam a digestão mais lenta, o que acaba prejudicando os níveis de atenção e deixando os colaboradores sonolentos.

Oferecer dicas alimentares, acompanhamento nutricional ou até refeições indicadas por um nutricionista também entram no conjunto das ações de saúde assistencial.

 

O que é saúde ocupacional?

A saúde ocupacional é um conjunto de ações e estratégias que visam reduzir, eliminar e neutralizar os riscos presentes no ambiente de trabalho. Esses riscos podem ser físicos ou não.

Bons exemplos são a correção da postura de colaboradores que trabalham sentados durante muito tempo, ou a adoção de medidas para suavizar os impactos do carregamento de peso.

Já no âmbito psicológico, podemos citar ações que visam prevenir o estresse, o desgaste, a ansiedade e a depressão. As pausas a cada certa quantidade de horas trabalhadas são uma das medidas de saúde ocupacional que funcionam nesse sentido.

 

Exames ocupacionais

Exames admissionais, periódicos, de troca de função ou demissionais são essenciais para acompanhamento da situação de saúde de cada colaborador. Eles fazem parte da saúde ocupacional e devem ser realizados sem exceções.

 

Uso de EPIs

Os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) servem para proteger e reduzir os riscos aos quais um colaborador está exposto. Bons exemplos são os óculos de proteção para a construção civil, ou os protetores auriculares para atividades com ruídos altos e constantes. O uso é obrigatório e cabe à empresa fiscalizar os colaboradores quanto a isso.

 

Capacitação de colaboradores

Apenas fornecer os equipamentos de saúde ocupacional não basta. A empresa deve treinar os colaboradores para que façam uso correto deles. O treinamento deve ser realizado o quanto antes, logo na integração, e também em reciclagens periódicas conforme a necessidade, que varia de empresa para empresa.

 

Diagnóstico do ambiente

Diversos programas de saúde ocupacional agem para entender o ambiente e os riscos aos quais os colaboradores estão expostos. Alguns deles são:

  • AET – Análise Ergonômica do Trabalho;
  • PCMSO – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional;
  • PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais.

A Clinimed Joinville atua com esses e outros programas de saúde ocupacional para que você ofereça qualidade de vida aos seus colaboradores e se mantenha dentro das leis e normas que regem estas questões. Saiba mais aqui.

Open chat
Olá! Como podemos lhe ajudar?